Testamento público é a maneira mais segura de elaborar o documento

A elaboração do testamento tem como objetivo definir o destino do patrimônio de uma pessoa falecida. O documento facilita a partilha entre os herdeiros, já que o testador deixa definido de quem será a posse de cada bem.

O testamento quando realizado de maneira pública, é redigido pelo tabelião no Cartório de Notas e é mais seguro, pois o responsável pela oficialização possui fé publica e é feito na presença de duas testemunhas, que não podem ser beneficiadas pelo documento.

Conheça os outros tipos existentes de testamento:

O testamento particular pode ser feito a próprio punho, porém, para que tenha validade é necessário a presença de três testemunhas, e mesmo após a morte da pessoa em questão, será necessário validar esse documento através das testemunhas. Alguns casos podem ser aceitos como testamentos extraordinários, quando feitos pelo testador de próprio punho em situações especiais, como urgência, risco de vida ou desastres, sendo necessária a realização de perícia da grafia do testador.

O testamento cerrado é um documento secreto e fechado, escrito pelo testador ou pessoa de confiança e assinado por ele próprio. Para ter validade, o documento deve ser submetido à aprovação do tabelião ou seu substituto e só poderá ser aberto após a morte de quem o fez.

Qualquer pessoa maior de 16 anos com capacidade plena de expressar suas vontades podem realizar um testamento.